MAIS UMA CONQUISTA: Ialorixá Baiana é o Mais Novo Membro da Academia Baiana de Letras

Os praticantes do candomblé e de outras religiões de matrizes africanas, vem a cada dia ocupando seu merecido lugar de direito na sociedade brasileira através de suas capacidades espirituais eintelectuais.

Eleita por 22 votos dos acadêmicos na tarde de quinta-feira (25/04), mãe-de-santo ocupa cadeira 33, cujo patrono é o poeta Castro Alves, que era ocupada pelo historiador e professor Ubiratan Castro, falecido em janeiro.

Em 2009, mãe Stella recebeu o título de Doutora Honoris Causa da Universidade do Estado da Bahia. Desde a última quinta-feira (25/04), a ialorixá do terreiro Ilê Axé Opó Afonjá, mãe Stella de Azevedo dos Santos, também chamada de Mãe Stella de Oxóssi, passou a ocupar a cadeira de número 33 da Academia de Letras da Bahia. A mãe-de-santo recebeu 22 votos dos acadêmicos em sessão realizada na quinta para escolher o novo nome para a vaga deixada pelo historiador Ubiratan Castro, que morreu em janeiro.

O poeta Castro Alves é o patrono da cadeira 33, que já foi ocupada por nomes como Francisco Xavier Ferreira Marques, Heitor Praguer Fróis, Waldemar Magalhães Mattos, além de Ubiratan, que era presidente da Fundação Pedro Calmon.

A Academia de Letras da Bahia tem 40 membros, entre eles, João Ubaldo Ribeiro, José Carlos Capinan, Myrian Fraga, Cid Teixeira, Ruy Espinheira Filho, Consuelo Pondé, Hélio Pólvora, Florisvaldo Mattos e Edivaldo Boaventura.

Mãe Stella é colunista do jornal A Tarde e autora de livros como “Meu tempo é agora”, “Òsósi – O Caçador de Alegrias” e “Epé Laiyé- terra viva”. Em 2009, recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade do Estado da Bahia (Uneb).



Coordenação de Comunicação da SEPPIR

0 comentários:

CONSEAN REALIZA ELEIÇÃO PARA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL

O Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consean/SE), vinculado à Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides), realizou nesta quinta-feira, 25, o Fórum de Eleição para nova representação da sociedade civil no biênio 2013/2015. O evento aconteceu no auditório “Ser
gipe Mais Justo”, na sede da Seides.


Reuniram-se para o Fórum servidores e voluntários de entidades que trabalham para garantir as políticas destinadas à segurança alimentar nos municípios sergipanos. Com o processo de votação, líderes de assentamentos, cooperativas e técnicos em nutrição de 17 instituições foram nomeados conselheiros.
Durante o encontro também foram apresentados novos planos indicados pelo Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) para fortalecer ocomércio de alimentos produzidos por agricultores familiares e o envolvimento da sociedade civil e de todas as instâncias do poder público. A ideia é ampliar as possibilidades de compradores, como hospitais, quartéis e outros estabelecimentos.

A presidente do Consean, Xifronese Santos, apontou o momento como sendo especial para a organização no estado, desejando aos candidatos que se envolvam e cobrem sempre mais dos governos o fortalecimento das políticas. “Vamos continuar sonhando e lutando para realizar nossos sonhos e ajudar o nosso povo”, enfatizou.


Representante da Seides no Consean, a diretora do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (Dsan), Rosane Cunha falou que o Conselho possui grande relevância para as políticas da secretaria, como a Feira da Agricultura Familiar e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).


“Na nossa política de segurança alimentar, e
Rosane Cunha

dentro dessa política de desenvolver a Feira da Agricultura Familiar aqui em Sergipe, a presença do Conselho é imprescindível. Temos um planejamento para ampliarmos o PAA em Sergipe. E depois que conhecermos a nova gestão, gostaremos de termos a presença constante do Conselho no nosso Departamento para o desenvolvimento dessas políticas”
, disse.
Entre conselheiros e suplentes, 17 entidades foram eleitas. O militante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Gil Marcos, foi reconduzido ao cargo de conselheiro e destacou que o MST sempre lutou pelo uso da terra e valoriza a participação no Consean. “Nós acreditamos que contribuímos e queremos continuar nessa luta”, disse.
Dentre todas as entidades que pleitearam uma vaga no conselho, a mais disputada foi a vaga para representar os povos tradicionais e o povo de terreiro que teve duas entidades – Astuc eSormaese na briga pela vaga que foi decidida somente com o uso do regulamento. Segundo o regulamento do edital, apenas poderia concorres as vagas as entidades que tivessem participado do fórum que aconteceu na semana passada, 19/04 e que tivessem entregado sua documentação até a data de 24/04 e a Sormaese não preencheu esses dois requisitos básicos deixando a vaga para a Astuc e seu representanteJose Jackson dos Santos (Kekeu), mas sobre muito protesto.
As demais entidades com representações eleitas foram: Federação dos Trabalhadores da Agricultura de Sergipe (Fetase); Instituto de Cooperação para o Desenvolvimento Rural Sustentável(Icoderus); Universidade Federal de Sergipe(UFS)Sindiprev/SE (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Serviço Público); Ascama; União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes); Ascosul; Amase; Sormaese; Associação Sergipana dos Terreiros de Umbanda e Candomblé (Astuc ); ASI; Pastoral da Criança e Cáritas.
INFO: ASCOM SEIDES e REDAÇÃO P.A.






0 comentários:

Like us

Seguidores Plus